ESPIRITUALIDADE | Um Coração que ama

A palavra coração, remete-nos à centralidade da pessoa, ao seu núcleo, à sua intimidade, portanto significa sua totalidade.

Imagem

Falar do “Coração” de Jesus, é voltar-se para a segunda Pessoa da Santíssima Trindade que assume a natureza humana para assim resgatar o homem ferido pelo pecado. O amor presente nesse Coração é a grande novidade da Nova Aliança e é para toda criatura humana a possibilidade real e concreta de amar sem os limites e sem as dificuldades.

Jesus se fez obediente até a morte de cruz pela salvação do mundo. (Fl 2,8) E o seu Coração aberto tornou-se símbolo evidente de que o amor de Deus pelo homem chegou ao limite extremo. “Tendo amado os seus amou-os até o fim.” Os Padres da Igreja viram sempre no lado aberto de Cristo, do qual saem sangue e água, o símbolo da Igreja e dos Sacramentos que brotam do Coração de Cristo para a salvação dos homens. O Coração traspassado de Cristo converte-se em sinal mais eloquente do amor gratuito do Pai pela redenção do homem que rompeu a aliança com Deus. Por isso, João nos convida a olhar para aquele que foi traspassado. (Jo 19,34) É preciso olhar, contemplar e compreender o grande mistério do amor revelado através do sacrifício da cruz. (Zc 12,10).

Olhando para o Coração de Jesus torna-se ainda mais compreensível o amor de Deus pelos homens como um amor de condescendência, de perdão, de acolhimento, de misericórdia. É um amor que se revela por um aliado mais fraco, mais pobre e até infiel e pecador. Um amor que é capaz de assumir até as últimas consequências para devolver aos homens a graça divina da filiação.

 

Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus